Abandonado em egoísmo

terça-feira, 31 de março de 2009
Será que eu desaprendi a rezar
Ou, simplesmente, Alguém me ignora?
Seria agora, exatamente, a hora
De saber se é destino ou apenas azar?

Blasfêmia? Heresia?

Hipocrisia!
Valores e fé corrompidos
Embalados em fúnebre melodia

Melancolia!
Gosto azedo do medo na boca
Toque áspero da desilusão em minha mão
Me guiando pela inquietidão...

Hemorragia!
O sangue, junto à lagrima, escorre
Noite após noite em agonia
Enquanto parte de mim morre

Dia após dia
Sobre a navalha cega
Vou me cortando aos poucos
Cedendo, uma total entrega
Aos meus pensamentos loucos

Minhas asas fracas
Me fazem planar por um tempo
E acreditar por um momento
Que se pode voar...
Mas logo se quebram

Será que perdi toda minha fé
Ao ponto de não conseguir me manter em pé?
Será que mesmo sobre meus joelhos feridos
Não terei meus clamores ouvidos?

No homem, habitam duas feras
Em guerra, ferindo, matando-o
O ódio e o amor deixando,
Na alma, buracos, crateras...

E o homem se tornará aquela que alimentar
E depois de tudo, já não sei qual sou.

6 surtos poéticos/patéticos:

Eu disse...

ai que meda...
rs to brincando, mas é INTENSO mesmo né...

nahaarii disse...

tao a flor da pele. sim, andam te ignorando. como voce faz comigo u.u. gostei desse, bateu forte.

Rafael Assis disse...

vou te levar pra UCM
sahusahushsauhsuahsausahusa
brinks ;)

Deivison heresias disse...

foi você mesmo que fez??

Deivison heresias disse...

oi você mesmo que a fez?

Matheus Moreto disse...

sim, fui eu...